+55 11 5572-1717
+55 11 5081-8530

Inclusão escolar ainda é desafio

Portadores de deficiência devem ser mais ativos em ações de inclusão social

Eles não estão nem aí

Noticias

Táxis acessíveis querem mais incentivos

Armando Serra Negra

Profissionais reclamam do alto custo de adaptação do Táxi Acessível, que chega a R$ 90 mil por veículo.Circular de táxi pelos quatro cantos da cidade sempre foi um problema e um incômodo para os usuários de cadeiras de rodas. Os veículos contratados não são devidamente adaptados para acomodá-los nem os motoristas treinados para recebê-los.

Diante do problema, foram criados os Táxis Acessíveis e, desde o início do ano, foram acrescentados à frota de 32.700 táxis metropolitanos 30 novos veículos, do tipo Fiat Doblo, perfeitamente adaptados para o uso exclusivo do serviço.

"Há muito tempo a Prefeitura não libera novos alvarás para táxis na cidade, devido à grande oferta do serviço. Mas em razão da necessidade de atendimento ao deficiente físico, a Secretaria Municipal de Transportes ainda tem 50 licenças especiais e gratuitas disponíveis", explica a vereadora Mara Gabrilli (PSDB), cuja própria dificuldade de locomoção – ela tornou-se tetraplégica após sofrer um grave acidente de automóvel em 1994 – levou-a a lutar por melhores condições de acessibilidade urbana para os deficientes físicos.

Embora os Táxis Acessíveis, como foram batizados, comecem a fazer sucesso entre os passageiros cadeirantes, a procura dos taxistas pelos alvarás, apesar de gratuitos, ainda é muito pequena. "Na primeira chamada, nove motoristas autônomos encomendaram os carros. Mas na segunda, no mês passado, apenas dois arriscaram a sorte", diz Jorge Morishita, um dos motoristas pioneiros.

Desilusão –
Novo na praça, Morishita está desiludido com o investimento. Apesar da Secretaria Municipal de Transporte (SMT) ter promovido dois eventos para a divulgação do novo serviço e que tiveram ampla repercussão na mídia, para o taxista isso ainda não foi o suficiente para assegurar o rendimento e a solidez do seu novo negócio.

"Se a Prefeitura parar por aí e não der mais incentivos e subsídios para alavancar a proposta, em um ano não haverá mais o serviço. Já há viaturas com ordem de busca e apreensão, por falta de pagamento das parcelas financiadas", lamenta o motorista.

O custo total de cada veículo adaptado é de R$ 90 mil. Os Doblos foram escolhidos em razão do tamanho (nem grandes nem pequenos demais) e os únicos com a largura necessária para acomodar uma cadeira de rodas, além de obedecer as demais especificações do Conselho nacional de Trânsito (Contran). Eles também possuem ar-condicionado e música ambiente.

Ao abrir a porta traseira do carro, uma plataforma automática é acionada por controle remoto, recebendo o cadeirante com todo o conforto. Ele viaja protegido por dois jogos de cintos de segurança, um para si e outro para a cadeira.

Entretanto, como os táxis acessíveis não podem transportar passageiros comuns, a clientela é extremamente reduzida, dependendo basicamente de solicitações via rádio. "Faço, em média, 40 corridas mensais. Mas, às vezes, são tão curtas que mal consigo pagar o combustível", lastima Morishita.

Frotas – As frotas de táxis apostam na novidade. "Estamos investindo na ideia", diz Ricardo Auriemma, presidente da Associação das Frotas de Táxi (Adetax). Operando 16 unidades, o grupo de 50 empresas associadas fornece treinamento aos motoristas, cobrando-lhes uma porcentagem nos rendimentos.

Demanda – "Em agosto atendemos a 1.100 chamadas", disse Auriemma. A tarifa do Táxi Acessível é a mesma do comum, acrescida de uma taxa fixa de R$ 3,50. "O negócio é promissor, a demanda vem aumentando um pouquinho a cada mês", aposta o presidente.

Com poder de fogo para um investimento inicial de R$ 1,5 milhão, Auriemma admite que as reclamações em relação ao serviço são grandes, principalmente para os autônomos, pois a adaptação do veículo é muito cara (R$ 33 mil), sem qualquer incentivo fiscal.

"É preciso agir rápido, ou o táxi acessível, que tanto agradou a população com deficiência física, corre o risco de acabar por simples falta de conhecimento da sua existência", alerta a vereadora Mara Gabrilli.

• 30 Táxis Acessíveis, adaptados para cadeiras de rodas, atendem especialmente os deficientes físicos na cidade.
• 50 licenças para a circulação dos táxis especiais estão à disposição dos interessados na Secretaria Municipal dos Transportes.
• 90 mil reais é o custo para a adaptação do veículo Doblo para tornar-se um Táxi Acessível. Custo é considerado alto para
os taxistas.

Quem atende:
1.Alô Táxi: 3229-7688 / 3228-1400 / 3326-0505
2.Fuji Táxi: 5073-3600 / 5077-3999
3.Delta Rádio Táxi: 5072-4499
4.Metrópole Rádio Táxi: 5575-6681
5.Super Táxi: 3982-6414

Fonte: dcomercio.com.br